Paz no Futebol

MENSAGEM PARA OS ESPORTISTAS

Amigos, esta mensagem, talvez, seria publicada corretamente com o título de “Mensagem aos não-esportistas”, pelo simples fato de que, os verdadeiros esportistas têm a consciência de que as vitórias e as derrotas no esporte acontecem de maneira natural. Têm, ainda, a convicção de que o importante é participar.
Entretanto, vivemos o futebol sendo encarado como business, e assim sendo, torna-se impossível o capitalismo desenfreado imposto pela necessidade de conquistas, títulos e lucros, permitir a cordialidade em todos os momentos.
Temos que sensibilizar a sociedade esportiva, e nela se incluem os dirigentes, torcedores e a imprensa, que independente da atual forma exploratória em que o esporte bretão, adotado como símbolo nacional por nós, brasileiros, deve, acima de tudo, ser um promotor de atitudes pacíficas e que sirvam de exemplo para, principalmente, as crianças.
Lamentavelmente, vemos ainda a existência de “torcedores-profissionais”, que se organizam de tal forma assustadoramente violenta, e que acabam servindo de maus exemplos para a juventude. São pessoas que exploram os clubes, travestidos de aficcionados pelas suas camisas, e que na verdade não trazem lucro às equipes de futebol, e, muitas vezes, nem assistem as partidas nos estádios, pois seu intuito é de tomar posse das arquibancadas, para amedrontar e rivalizar através de ameaças criminosas os seus adversários. Esses elementos não compreenderam ainda que, no futebol, adversários não devem ser encarados como inimigos, mas simplesmente como torcederos de outra bandeira. Não tem o senso crítico de que, assim como a sua preferência clubística deve ser respeitada, a do seu próximo também.
Infelizmente, tudo isso desvirtua a razão de existir do futebol, de promover lazer, entretenimento e opção às famílias de se divertirem com um espetáculo, que até então, os boleiros brasileiros vêm sendo os principais protagonistas no mundo da bola.

Vamos promover a paz nos estádios, a confraternização das torcidas, o valor do esporte como instrumento social no combate as drogas…

Sejamos cidadãos, e denunciemos as pessoas que promovem a guerra nos campos de futebol. Tentemos assim, fazer com que o estádio seja um palco de eventos onde possamos levar nossas famílias e amigos tranquilamente, sem medo de tiros, pedradas ou bombas caseiras.

Que todos possam praticar, curtir e incentivar o futebol, independente de sexo, cor, raça ou bandeira.